O mês de maio será marcado com o Movimento de Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infantil. Especificamente no dia 18, que será lembrado por todos aqueles que se unem nesta importante causa. Como não poderia ser diferente, o Programa de Prevenção de Acidentes de Trânsito GT CIPA POLO traz sua contribuição, porque muitas crianças e adolescentes estão vulneráveis à exploração sexual nas rodovias que cortam país a fora. Embora este crime possa estar bem próximo do Polo Industrial de Camaçari. Oculto e impune, pois o silêncio ainda é um obstáculo que ajudamos a combater com este artigo.

De acordo com a pesquisa divulgada, a Bahia aparece como o estado com o maior número de pontos críticos ou de alto risco mapeados (62), seguido de Minas Gerais (53), Pará (53) e Goiás (36). Esses estados apresentam ainda o maior número de municípios com pontos críticos ou de alto risco, sendo o primeiro Minas Gerais, com nove municípios, Bahia e Pará com  sete e Goiás com cinco municípios.

“A exploração sexual de crianças e adolescentes é a mais perversa forma de destruição da dignidade e do futuro de um ser humano. Trata-se de uma das piores excrescências já produzidas pelo homem, que deixam seqüelas irreversíveis para os infortunados meninos e meninas que são vítimas dela” (Ministério do Trabalho).

A Polícia Rodoviária Federal, em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), Childhood Brasil, Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e, esse ano, com o Ministério Público do Trabalho, lança o sexto mapeamento dos pontos vulneráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais brasileiras.

“As ações realizadas para compor este mapeamento têm vasta abrangência, percorrendo em torno de 65.000 quilômetros de rodovias federais, distribuídos pelos 26 estados e o Distrito Federal. Esse é o objetivo da cultura de mapeamento dos pontos vulneráveis à exploração sexual nas rodovias brasileiras.”

Pontos vulneráveis são ambientes ou estabelecimentos onde os agentes da polícia rodoviária federal encontram características – presença de adultos se prostituindo, inexistência de iluminação, ausência de vigilância privada, locais costumeiros de parada de veículos e consumo de bebida alcoólica – que propiciam condições favoráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes. O processo de mapeamento e divulgação dos pontos vulneráveis criam a possibilidade de um trabalho intersetorial e articulado de prevenção da violência sexual e proteção da infância e adolescência entre a PRF e os seus parceiros. Para ampliar ainda mais o conhecimento sobre esses pontos e esta forma de violência, esta edição do mapeamento incluiu duas novas questões:a primeira,sobre o sexo/gênero das vítimas; e a segunda, sobre o seu local de origem. Ao entender melhor o perfil da criança ou adolescente nesta situação, é possível contribuir para o estabelecimento de políticas preventivas de atendimento e encaminhamento.

Nesta edição, realizada entre 2013 e 2014, identificou-se um total de 1.969 pontos vulneráveis à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas rodovias federais. Desse total, 566 foram considerados pontos críticos; 538, com alto risco; 555, com médio risco; e, por fim, 310 pontos foram avaliados como de baixo risco.

Download do Relatório completo aqui…

Os estados e municípios também podem contribuir com o movimento promovendo campanhas de impacto para conscientizar a sociedade a denunciar os casos de exploração sexual infantil.


A prefeitura de Lajedo (PE) por meio do CREAS lançou campanha em Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infantil.

O governo do Mato Grosso também já promoveu campanhas impactantes. 

 Sobre a Childhood

A Childhood Brasil é uma organização brasileira e faz parte da World Childhood Foundation (Childhood), instituição internacional criada em 1999 por Sua Majestade Rainha Silvia da Suécia para proteger a infância e garantir que as crianças sejam crianças.
Desde 1999 a Childhood Brasil luta por uma infância livre de abuso e exploração sexual.

A organização apoia projetos, desenvolve programas regionais e nacionais, influencia políticas públicas e transforma a vida de muitas crianças e adolescentes. Faz isso através de programas próprios, focados em inovação, comunicação e advocacy, com importantes resultados intersetoriais, envolvendo empresas, governo e sociedade civil. Sua abordagem com o setor privado parte da premissa que toda empresa socialmente responsável não pode admitir qualquer tipo de violação dos direitos de crianças e adolescentes na sua cadeia de valor.

Conheça também:

http: www.carinhodeverdade.org.br

Fontes:
Polícia Rodoviária Federal;
6º Mapeamento de Pontos Vulneráveis à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Federais Brasileiras;

Deixe uma resposta