Nosso objetivo é promover o Movimento de Acidentes Automobilísticos Zero. Mas para alcançar esta meta é necessário que o conhecimento e a técnica correta seja aplicada para que os condutores sejam capazes de lidar com o desafio de conduzir em vias repletas de perigos. Portanto, o Programa de Prevenção de Acidentes de Trânsito GT CIPA POLO compilou uma série de dicas para que os condutores possam estar mais preparados.
ESTRATÉGIAS PASSIVAS

Cintos de segurança

Esta simulação o demonstra o que acontece com o corpo dos ocupantes do veículo quando, estes não estão protegidos com o cinto de segurança.

Embora seja obrigatório e importante o uso do cinto de segurança, ainda há uma questão que os motoristas ainda não se conscientizaram: o uso do cinto de segurança no banco de trás. Originalmente, os cintos de segurança envolviam apenas o abdômen dos ocupantes do veículo, permitindo assim que o tronco fosse projetado para frente no momento da desaceleração. Aperfeiçoados, os cintos de segurança de três pontos, cruzam o peito do usuário, proporcionando maior segurança. Contudo, no banco de trás da maioria dos veículos, os cintos ainda são do modelo antigo – e por isso são esquecidos. Em caso de acidente os ocupantes de trás são projetados para frente, ferindo-se gravemente além de pôr em maior risco a integridade dos ocupantes dos assentos dianteiros.

Em caso de colisão frontal, os passageiros que viajam no banco de trás sofrem influência da inércia – que os desloca para frente de forma abrupta – isto transforma a velocidade de um peso muito maior do que aquele correspondente a sua massa corporal.

– Instale assentos especiais para crianças até 3 anos.
– No caso de crianças maiores, cuide para que o cinto não machuque. Ajuste a cintura (na pélvis) do cinto, ou coloque alguma proteção que traga mais conforto à criança.

Os airbags

O Airbag, também conhecido como bolsa ou almofada de ar, é um componente dos veículos e funciona de uma forma simples: quando a frente do veículo sofre um grande impacto, os sensores dispostos em partes estratégicas do veículo (frontal, traseiro, lateral direito, lateral esquerdo, atrás dos bancos do passageiro e motorista, tipo cortina no forro interno da cabina) identifica qual sensor foi atingido e assim aciona o airbag mais indicado.
Este dispositivo é formado por pastilhas de nitrogênio que são deflagradas pela central eletrônica dentro de um balão de ar muito resistente, que é o próprio Airbag. Então, a bolsa se enche rapidamente, amortecendo o choque e evitando que os ocupantes sofram danos físicos severos na face, torço e coluna cervical.

Prós e Contras dos airbags

Diversas lesões podem ocorrer com uso dos airbags. As mais comuns são: abrasão da pele, dano à audição (devido ao barulho da expansão), lesões na cabeça, dano aos olhos em pessoas que utilizam óculos e quebra dos ossos do nariz, dedos, mãos e braços. Estas são algumas consequências negativas registradas do seu uso. Mas os benefícios são sempre mais abrangentes do que seus pontos negativos.

O mecanismo diminui a chance da cabeça e a parte superior do corpo de um ocupante se debata no habitáculo de veículo ou em alguma parte do volante ou painel. Eles também ajudam a reduzir o risco de lesões graves, distribuindo as forças da batida mais uniformemente ao longo do corpo do ocupante.


Condições Físicas e Mentais dos Condutores

Mantenha-se em equilíbrio para dirigir

São muitas as situações que podem terminar em uma briga de trânsito ou em um acidente. No entanto, isso pode ser evitado com procedimentos simples e práticos. Confira as dicas elaboradas pelo professor Rodrigo Ramalho – especialista em Inteligência Emocional no Trânsito – que ensinam a manter o autocontrole mesmo nas situações mais críticas no trânsito urbano.

Planejamento

É fundamental planejar os horários e percursos. A pressa é a causa de muitas das ansiedades que nos levam a acelerar mais para “ganhar tempo”. Isto, quando não acontecem os imprevistos como os congestionamentos que sempre causam mais atrasos. Este planejamento também envolve as situações que você vai encontrar nos percursos. O rádio, sistema de GPS e outros aplicativos como o Waze, podem trazer informações estratégicas como as condições severas de tráfego, como queda de barreiras, acidentes graves, congestionamentos muito grandes e assim por diante. Assim você evita os atrasos e consegue manter a ansiedade pelo tempo e a velocidade do veículo mais controlada.

Evite discussões com outros condutores

Muitas vezes, os outros condutores cometem imprudências que irritam aqueles motoristas que desejam dirigir corretamente. Um comportamento agressivo pode começar com uma buzina muito forte, ou gestos de condutores que protestam, e muitas vezes, estão com razão.

O problema é que este comportamento provoca a raiva do outro condutor que provavelmente comece a “rebater” porque foi advertido e assim começa uma briga de trânsito. São muitas formas de começar, mas o desfecho tem sido trágico, inclusive com agressões físicas e até homicídios. Portanto, é necessário um pouco mais de paciência com os erros e atitudes dos outros, porque poderemos também cometer alguns erro ao volante.

Trabalhando com a raiva dos outros condutores

Se o outro condutor começa a discutir, evite dar atenção e lembre-se: a raiva cresce na medida em que você dá atenção à ela. A raiva é uma emoção quer ser alimentada. Se você ignora os insultos dos condutores raivosos, vai perceber que logo termina o problema. Mas se você dá chance de alimentar a raiva – discutindo e gesticulando agressivamente também – vai perceber que a situação começa a ficar perigosa, a ponto dos condutores pararem os veículos para saltar e brigar. O que você jamais pode deixar acontecer, pois você não sabe se o outro que desce do carro está armado. Isto pode ser decisivo para sua vida!


Outros fatores podem interferir no desempenho dos condutores.

A pergunta é: você poderá ser o seu maior inimigo no trânsito?

Quando você conduz nestas condições, poderá ser o seu maior oponente nas ruas:

• Fatores físicos como cansaço, visão ou audição comprometida diminuem a atenção e aumentam os riscos de acidente;

• Comer demais ou deixar de se alimentar são atitudes que geram reflexos físicos não aconselháveis a um condutor;

• Fatores emocionais e psicológicos – nervosismo, tensão, inexperiência, excitação ou tristeza – também fazem o condutor perder o foco da direção;

• Dirigir com sono, embriagado ou sobre efeito de substâncias tóxicas (remédios ou drogas) afetam a capacidade de reagir nas situações-limite que surgem no trânsito.

Álcool e Direção

Todos sabem que o álcool provoca alteração da coordenação motora e diminui os reflexos. Além de acidentes graves, os condutores quando conduzem alcoolizados colocam a vida de outras pessoas em risco. Por isto, existe um forte movimento em nosso País para punir os condutores que se arriscam nas vias embriagados.

Segundo estudos de diversos institutos de Medicina, a proporção de álcool no sangue aumenta a perda de capacidade de dirigir:
• Um copo de cerveja ou uma taça de vinho equivale a 0,2 g/l – Neste caso, a bebida não é suficiente para causar alterações neurológicas;

• Uma dose de uísque ou uma latinha de cerveja: 0,3 g/l – Sua noção de distância e de velocidade já fica comprometida. Um obstáculo que parece longe está muito mais perto do que você percebe;

• Dois copos de cerveja ou duas taças de vinho são 0,4 g/l – Os reflexos se tornam menos precisos e a capacidade de responder rapidamente á situações de perigo são mais lentas;

• Duas latas de cerveja ou duas doses de uísque ou 0,6 g/l (limite considerado como embriaguez no Brasil) – Ocorre sensação de euforia. Há perda da noção de perigo e o risco de acidente pode dobrar;

• Quatro copos de cerveja ou quatro taças de vinho são 0,8 g/l – Ocorre uma sensação de calor e rubor facial;

• Quatro latas de cerveja ou quatro doses de uísque são aproximadamente 1,2 g/l – O organismo está intoxicado. É o suficiente para a perda de controle do veículo;

• Cinco latas de cerveja ou uma garrafa de vinho: 1,5 g/l – Considera-se uma pessoa incapaz de se concentrar no trânsito. Ocorre perda da memória e a capacidade de mensurar riscos. Ocorre ainda o risco de dormir ao volante.

Portanto, além de comprometer a capacidade de dirigir, o álcool e direção tem suas questões legais. A legislação está mais rígida. Antes, se o bafômetro registrasse 0,13 miligramas de álcool por litro de ar expelido o motorista era liberado. Agora, a presença de 0,05 miligramas já é infração.

O novo limite equivale a menos de um copo de cerveja. Qualquer coisa acima de 0,05 dá multa de R$1.915,40. O motorista tem a carteira de habilitação recolhida e tem o direito de dirigir suspenso por um ano. A partir de 0,34 miligramas, além dessas punições, ele responde a processo por crime de trânsito. A pena pode ser de seis meses a três anos de detenção.

 


ESTRATÉGIAS ATIVAS

Conduzindo em Rodovias

Antes de viajar é necessário estar atento a uma série de elementos para que sua viagem seja perfeita. Esta é aquela que chegamos ao nosso destino sem cometer infrações e provocado acidentes.

Em caso de problemas nas vias, é indicado adequar a velocidade às condições observadas:

Observe com atenção a desvios, trechos em meia pista ou sem acostamento;

Nas vias com sinalização precária, tenha atenção redobrada;

O planejamento do trajeto antecipadamente é uma forma de evitar conversões inesperadas e baixas velocidades quando se procura um endereço desconhecido;

Em declives, utilize o freio suavemente e mantenha o veículo engrenado com a marcha engatada, nunca utilize “ponto morto”. Pois assim o veículo fica mais vulnerável, com baixa estabilidade.

Ofuscamento

As condições de iluminação são é muito importante para o bom desempenho do condutor. A intensidade da luz natural ou artificial pode afetar a capacidade do motorista de ver ou ser visto.

– Proteja seus olhos da incidência direta da luz solar usando óculos escuros, ou baixe o para-sol.

– Evite viajar nas primeiras horas da manhã e no final da tarde.

Em caso de ofuscamento:

– É preciso cuidado com o farol alto que ofusca o motorista na via de sentido oposto. O indicado é baixar a luz quando outro veículo se aproximar na pista contrária. Não evitando o ofuscamento, você deve se guiar pela faixa branca na lateral da pista. Ela mostra o contorno da via.

– O farol alto também pode cegar temporariamente o carro da frente, quando a luz incide no retrovisor. Nesses casos, também é aconselhável diminuir o farol quando atrás de outro veículo no mesmo sentido;

– é indicado, sempre que possível, trafegar com luz baixa. A luz alta somente deve ser utilizada em vias que não possuem iluminação pública.

“O farol aceso funciona como se fosse uma espécie de marcador de texto: chama a atenção de outros motoristas. Justamente por isso os veículos europeus saem de fábrica desde fevereiro do ano passado com luzes diurnas, que se acendem automaticamente e que não podem ser desligadas pelo motorista. Os primeiros países a exigirem a obrigatoriedade foram Suécia, Noruega e Dinamarca, ainda na década de 1970”.

Fonte: Quatro rodas

Dicas importantes:

• Faça uma revisão no veículo antes de viajar;
• Reduza a velocidade ao chegar em cruzamentos;
• Nunca dirija depois de ingerir bebidas alcoólicas;
• Dê preferência aos pedestres;
• Sinalize antecipadamente todas as manobras a serem executadas;
• Mantenha sempre distância de segurança em relação ao veículo da frente;
• Em pistas molhadas a aderência diminui. Pise levemente no freio e diminua a velocidade;
• O uso do cinto de segurança é obrigatório para todos os ocupantes do veículo;
• Menores de 10 anos devem ser, obrigatoriamente, transportados nos bancos traseiros, com cinto de segurança. 


Revisão para viagens

Pneus

Inspeção obrigatória. Cheque a pressão de todos os pneus, e atenção à quantidade de passageiros e bagagem que você transporta, pois quase todos os modelos exigem pressões diferentes para diferentes condições, leia o manual do fabricante.

Se você perceber uma ou mais bolhas, isto significa que existe um dano estrutural irreversível na carcaça e neste caso, ocorre um risco de explosão, principalmente na estrada – onde o pneu é exposto a uma temperatura maior, elevando sua pressão interna.

Os sulcos devem ter no mínimo 1,6mm de profundidade. Um pneu novo, possui 8mm em média. Eles são fundamentais para a drenagem na banda de rodagem no caso de chuva, prevenindo as aquaplanagens.

CUIDADO COM OS PNEUS

• Além da garantia maior vida útil dos pneus, mantê-los calibrados evita desperdício de combustível;

• A cada 5.000 Km, é recomendável verificar o balanceamento;

• Rodas desbalanceadas podem afetar outras partes mecânicas do veículo como suspensão e rolamentos, além dos próprios pneus;

• Procure calibrá-los ao menos uma vez por mês, apenas quando eles estiverem frios;

A Importância do Alinhamento

Nos veículos atuais a suspensão da frente é independente. Cada roda acompanha a irregularidade da pista sem afetar a outra, mantendo a estabilidade. Todos os veículos possuem ajuste para a convergência dianteira, e os ângulos usados variam de acordo com os modelos e as montadoras, que os definem pensando no desgaste de pneus e na estabilidade. Os pneus são uma boa referência para identificar falhas de alinhamento. Se tem desgaste anormal, rápido ou irregular, indicam problemas de alinhamento.

Os Dez sinais que indicam a necessidade de alinhar a suspensão.

Faça o alinhamento sempre que:

1. Trocar os pneus
2. Os pneus tiverem desgaste excessivo na área lateral superior
3. A banda de rodagem se desgastar em forma de escama ou serra
4. Um pneu tiver maior desgaste que outro
5. Houver trepidação das rodas dianteiras
6. O volante apresentar vibração
7. A direção ficar pesada
8. Os pneus cantarem em curvas ou manobras
9. O carro puxar para o lado quando os freios forem acionados
10. O veículo puxar para a esquerda
ou para a direita

Revisão da suspenção

O engenheiro mecânico Felipe Marchesin, colaborador do Centro de Engenharia Automotiva da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e Coordenador de Engenharia da JL Racing Products, aponta que “Na maioria dos carros populares a suspensão é McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira.

Neles só é possível fazer o alinhamento de convergência no eixo dianteiro. Apenas quando há qualquer outro parâmetro diferente do nominal, seja na dianteira, seja na traseira, é necessário fazer alinhamento técnico, ou seja, ‘deformar’ algum componente”.

É possível verificar quando um amortecedor não está em boas condições. Pois, a carroceria tem oscilação maior que a normal em frenagens e curvas, e o carro tende a escapar da trajetória quando eles não estão em perfeito desempenho. Deve-se checar se há vazamento de fluido entre o eixo e o corpo do amortecedor. Se isto estiver acontecendo, já passou da hora de trocar os amortecedores.

Triângulo, macaco e chave de roda

Estes itens também são fundamentais nas situações de emergência na estrada. Faça uma checagem de funcionamento: um triângulo com a haste de apoio quebrada não serve pra nada, por exemplo.

Revisão na suspensão

Barulhos, rangidos e batidas secas que se assemelham a algo frouxo devem ser averiguados na oficina autorizada. As condições de nosso pavimento podem levar a um desgaste da suspensão provocando o risco de acidentes.

Fluidos e Óleos

Em situações de viagens em rodovias, o motor é submetido a um esforço maior que no ciclo urbano. Por isso, é importante checar o nível, a validade de todos os fluidos e seus respectivos filtros, bem como a presença de vazamentos: líquido de arrefecimento, óleo do motor e transmissão, fluido de freio, direção hidráulica e embreagem.

Sistema elétrico

O sistema elétrico é muito importante para a sinalização de ultrapassagens. Confira se as lanternas, faróis e piscas estão em pleno funcionamento. Substituir uma lâmpada queimada é algo rápido, e pode prevenir um acidente. Pois se você pisa no freio e a “luz de freio” não funciona, o condutor que o segue poderá colidir por não perceber a frenagem, por exemplo.

Mensagem dos membros do GT CIPA POLO:

“Quando você cuida do veículo e do cérebro que o conduz, você alcança as condições ideais para evitar acidentes e preservar a vida. Participe deste movimento e “Juntos, podemos salvar milhares de vidas!”

Deixe uma resposta